Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 6 de outubro de 2017

Sinopse:

“Há quem diga que somos nós que construímos as histórias. É um erro, são elas que nos constroem.”

Ele levava uma vida vivida ao acaso, sem paradeiro, seguindo os indícios fornecidos pelo tempo. Era desta forma que Victor, um escritor nascido no Mato Grosso do Sul e que já havia percorrido boa parte do Brasil, passara seus últimos anos: de cidade em cidade, de estado em estado. Ele seguia um chamado inaudível, mantinha a busca pelo indefinido, marcada por visões que pareciam apontar um porvir e que preenchiam ausências remotas, indecifráveis.

Após sucessivas viagens, a vida o leva de volta ao seu estado natal e lá ele encontra uma fazenda de subsistência, onde abriga-se como ajudante na casa de uma família cujas mazelas vão se descortinando aos poucos. Trabalho, fome e tristeza fazem parte da realidade daquelas pessoas. Mas não é só isso! Ele sabe que por trás daquela vasta plantação de milho e de toda a desestruturação percebida na casa, há uma história adormecida e que o passar dos anos não conseguiu apagar. Ele viu o verme sobre o batente da porta e lembrava-se da cigana que um dia lhe salvara a vida.

Décadas antes a fartura e a felicidade habitaram aquele chão molhado e fértil, porém, a mão vil do homem, a ganância e o desamor desviaram os caminhos do tempo, adulteraram o destino e estabeleceram um novo recomeçar delimitado pelos passos dados por Victor e por sua chegada na região. Era como se ele pertencesse àquela terra, como se ela estivesse nele, da mesma forma em que ele, agora, estava nela. Ao envolver-se com aquela família e com os demais colonos, ele não sabia que sua trajetória seria transformada para sempre, assim como também não sabia que transformaria a vida de todos ali.

Esta é uma história sobre o tempo, sobre as transformações sofridas e instigadas por ele, sobre as esperas propostas e validadas com o passar dos anos. Esta é uma história onde culturas se misturam para compor o cenário ideal. Esta é uma história de amor marcada pela desgraça acarretada pelo ódio. Esta é uma história que esconde verdades e você, leitor, está convidado a enfrentar estas verdades.

caminhos_definitiva

Quotes:
“— Esta fazenda era parte do território do Mato Grosso ainda, era década de vinte e o estado não havia sido dividido, quando os ciganos fincaram acampamento aqui e receberam autorização para trabalhar na lavoura. No começo foi estranho já que seus costumes eram tão diferentes, mas com o passar dos meses tudo parecia normal. Eles eram pessoas comuns, pessoas de bom coração, apesar de todas as asneiras que se espalhavam na época. Gente que não tem o que dizer sempre diz besteira, não é verdade? (…) Houve quem não gostasse dos ciganos. Há sempre um espírito de porco! Houve intriga, gente traindo gente e eu vi o traidor ganhar. Eu vi quem não merecia nada crescer, montado nas costas de quem era mais fraco. Eu vi o poder descaradamente cavar a cova do amor e espalhar sementes de tristeza e desgraça neste estirão. Eu vi o ódio alimentar o filho do desamor pra fazer dele parte desta terra, pra dar a ele as raízes que um dia construiriam o que temos hoje. Ah! Eu vi muita coisa ruim, mas eu sempre soube que a vida traria de volta o que jamais deveria ter sido deixado para trás.”
“— A vida nunca erra… Se ela o trouxe até este lugar é porque o lugar faz parte de você, o lugar está na sua história. Nada é por acaso, meu jovem e o que consideramos acaso, muitas das vezes, foi escrito nas pedras tempos antes e o que se escreve nas pedras, ninguém apaga.”
Ebook disponível na Amazon. Clique AQUI para ter acesso aos primeiros capítulos.
Anúncios

Read Full Post »